logo
Sindicato das Agências de Propaganda do Estado da Bahia.
Rua Senador Theotônio Vilela, número 110, Edifício Cidadella Center II, Sala 407, Brotas Salvador- Bahia
(55) 71 3354 4138
sinaprobahia@sinaprobahia.com.br
Siga-nos
Siga-nos

(71) 3354-4138

Rua Senador Theotônio Vilela, Ed. Cidadella Center II, Sala 407

Seg - Sex 9.00 - 18.00

Comunicar é preciso?

Comunicar é preciso?

Luis Eduardo Lima, sócio e vice-presidente de Novos Negócios da SLA Propaganda, diretor de Relações Governamentais do Sindicato das Agências de Propaganda do Estado da Bahia (Sinapro-Bahia) e vice-presidente da Associação Baiana do Mercado Publicitário (ABMP)

A pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19), que teve início na China e hoje se espalha por muitos países, trará profundas mudanças para todas as sociedades. Além de ser uma grande ameaça às vidas humanas, dominando o noticiário internacional, gerará reflexos ainda não mensuráveis na economia mundial. No Brasil vivíamos a expectativa de retomada do crescimento econômico depois de mais de 3 anos de recessão, mas foi necessário decretar Estado de Emergência. A incerteza tomou conta do mercado. O Isolamento Social virou realidade.

E como ficam as marcas num cenário que gerações nunca vivenciaram nada parecido? E a publicidade? Muitas empresas e marcas simplesmente cancelaram suas campanhas e suspenderam todas as ações de comunicação. Poucas foram aquelas que perceberam a gravidade da situação e, com responsabilidade e sabedoria, se fizeram presentes junto aos seus clientes e consumidores. A CVC – operadora e agência de viagens; a Vivo, Tim, Claro e Oi – operadoras de telefonia, a 99 – empresa de mobilidade, deixaram de lado as ofertas e a briga por market share e se voltaram para a solidariedade e orientação daquilo que é melhor para as pessoas, melhor para o Brasil.

Pesquisa recente divulgada pelo Kantar Thermometer (Março/2020), aponta o que os brasileiros esperam das marcas durante essa Pandemia. Destaco aqui, três aspectos que me chamaram atenção: 25% dos entrevistados querem que as marcas deem o exemplo e guiem a mudança; 21% que sejam práticas e realistas e ajudem os consumidores no dia a dia e 20% que ataquem a crise e mostrem que ela pode ser enfrentada.

Ou seja, os clientes/consumidores querem que as marcas ocupem posição relevante, de destaque e liderança de processos. Querem as marcas ao lado, orientando e contribuindo para a superação dessa fase tão difícil para todos nós. Querem que as marcas sejam um ponto de esperança no enfrentamento da pandemia do Coronavírus.

E como fazer tudo isso se, simplesmente, as marcas sumiram da mídia? Impossível! A audiência de TV, por exemplo, bateu recorde no mês de março (Kantar Ibope Media UPDATE 31.03). É necessário, mais do que nunca, comunicar. Menos o preço e diferenciais do produto e mais o compromisso com a sociedade e com a vida das pessoas. É hora de comunicar institucionalmente, demonstrando para a sociedade o papel que efetivamente aquela empresa/marca deseja desempenhar. A relevância que ela deseja ter na vida de cada um. É hora de comunicar formas diferentes de atender às demandas dos consumidores. É hora de comunicar o que pode ajudar o Brasil a sair desse estado crítico.

Revejam suas estratégias. Pensem no todo. Com ação e solidariedade, teremos um futuro melhor. Ainda dá tempo e comunicar é preciso!

No Comments

Post a Comment